UA-123089393-2
 
  • Juliana Marchiote

Justiça mineira reconhece vínculo de "avosidade" socioafetiva com neta de seu marido



A mulher casada com o avô da criança e, desde o nascimento da neta é reconhecida socialmente como avó. Os pais da criança, os avós paternos e o avô materno da neta concordaram com o pedido.


Para o Ministério Público a atual esposa do avô materno de fato acolheu a menina como neta, exercendo a "avosidade" de forma estável e responsável. Surgiu, então, um forte vínculo afetivo e de afinidade entre elas.


Segundo o magistrado não há oposição ao pedido e foram satisfeitas as exigências legais para o seu deferimento. Assim, determinou a inclusão do nome da avó socioafetiva nos registros da criança, sem exclusão da avó biológica.


“A documentação anexada à petição inicial, somada ao que consta no relatório de estudo psicossocial, comprovou, satisfatoriamente, o alegado vínculo de avosidade socioafetiva existente entre as requerentes”, decidiu o magistrado.



002.png